top of page

[Inglês]

Lamentamos, mas este conteúdo não é totalmente traduzível pelo menu de idiomas do site, portanto esta página está disposta em formato bilíngue.

Dis-cernir e Inseparar: o encantamento do Irreparável

Edição comemorativa: 5 anos de Escola do Reparar, 10 anos de escolas de verão




Em 2024 a Escola do Reparar debruça-se sobre a ferramenta-conceito dis-cernir, que convida a exercitar a musculatura ética do diferenciar, do re-conhecer dos cernes, numa modulação na qual é justo o acesso à multiplicidade de perspectivas vitais (entre-cernes e intra-cernes) que permite (re)encantar e reconectar com a experiência sensível da inseparabilidade.


Insistimos na pesquisa de antídotos aos afetos do desemparo e do desencanto, manifestos pelo esgotamento e pelo embotamento das sensibilidades, que marcam de modo desigual mas pervasivo os estados individuais e coletivos contemporâneos. Convocamos as operações do re-pouso/amparo - enquanto vivência de ninho, descanso profundo, entrega, rendição e (re)conexão - e do re-voo/encanto - enquanto acesso ao Fundo Comum da Vida, às sabedorias encarnadas aquém-além do humano que compõem o agregado provisório de toda e cada uma das formas de vida, e re-sintonização com o ser (em) bando, num pleno habitar e co(n)sentir da coexistência. 


Nas diferentes proposições de encontro que perfazem a investigação-criação deste ano, propomos, ainda, uma demora em duas outras operações: o re-conhecimento - um honrar das ancestralidades que nos dão hoje (an)coragem (ancoramento e coragem) e um empenho firme e franco em voltar a conhecer-se - e a re(e)nunciação - renúncia das ilusões sistémicas aglutinadas à volta dos pontos de vista individuais e re-enunciação de si que desbloqueia o acesso à vista do ponto.   


É um ano em que comemoramos duplamente!


■ Por um lado, os 5 anos em que as nossas propostas de partilha do Modo Operativo AND assumiram o formato do programa continuado de formação artístico-política Escola do Reparar, com edições temáticas anuais desde 2020;


■ Por outro lado, os 10 anos de emergência do formato Escolas de Verão AND, predecessor da Escola do Reparar, que teve a sua primeira edição piloto em Lisboa, no verão de 2015, e se estendeu até 2019!


O programa desdobra-se em duas temporadas, contemplando atividades presenciais em Portugal, circulações por Alemanha e Brasil e atividades online. 


■ De março a julho, serão oferecidas em modo extensivo presencial e intensivo online as oficinas hANDling de Introdução ao MO_AND e as oficinas Estudos Indóceis de Desdobramento do MO_AND e estudo praticado de ferramentas-conceito, bem como, no verão, o Curso-Retiro LANDscape Portugal de Aprofundamento do MO_AND e Jornada-Ritual de Ninho e Bando. 


■ De agosto a janeiro, serão oferecidas em modo intensivo presencial oficinas hANDling de Introdução ao MO_AND na Alemanha e em Portugal, uma oficina (under)stANDing extensiva online, de Desdobramento do MO_AND e partilha de projetos colaborativos do Coletivo AND e um Curso-Retiro LANDscape no Brasil, de Aprofundamento do MO_AND e Encontro-Síntese Retrospetiva 2024.





SOBRE A ESCOLA


A Escola do Reparar é um programa anual continuado de investigação-criação expandida e formação artístico-política, que abriga quatro interfaces de encontro e se desenrola no eixo Portugal-Brasil. Apoiada na criação sempre em processo de Fernanda Eugenio com o Modo Operativo AND, em colaboração com a rede multilocalizada de artistas do Coletivo AND e com diferentes artistas convidades a cada vez, a Escola do Reparar toma, a partir da constelação prático-teórica do MO_AND, uma questão-tema por ano como mote para a criação de novos dispositivos performativos de encontro, proposições vivenciais, jogos e ferramentas de composição-criação coletiva, adotando a estrutura duracional da viagem para convidar à habitação e à persistência no trabalho íntimo-político da trans-forma-ação.


As suas quatro linhas de atividades estão desenhadas de modo a propiciar às pessoas participantes um percurso gradual e amparado de navegação na questão-tema do ano.


Começamos sempre pelo hANDling, oficinas de partilha do MO_AND e práticas afins (março a junho; setembro a novembro, em Lisboa e diferentes cidades do Brasil a cada ano), dedicado a oferecer as bases de sustentação da jornada anual, através da introdução e do desdobramento das ferramentas-conceito e princípios centrais do Modo Operativo AND, aliado a práticas corporais do Coletivo AND. 


A seguir, entramos nos Estudos Indóceis, grupo de estudos praticados e experimentais (maio - Portugal e outubro - Brasil), dedicado a partilhar a filosofia habitada à volta dos conceitos em foco a cada ano.


Chegamos então ao LANDscape, curso-retiro imersivo (julho - Portugal e janeiro - Brasil), construído sob a forma de jornada-ritual de trans-forma-ação, na qual o Modo Operativo AND se multiplica num conjunto de proposições político-afetivas encarnadas mais complexas, que convocam diferentes modulações de jogo da constelação AND lado a lado a peças-rituais especialmente criadas, a cada vez, para propiciar a experiência sensível e vivencial da questão-tema. Esta atividade é, ao mesmo tempo, fim e começo: uma culminância da jornada de cada ano, todos os meses de julho, que, ao se repetir em janeiro, opera também a pré-paração para o ano seguinte, e para uma nova questão-tema prestes a emergir. 


Toda a viagem é assistida e nutrida pelo [under]stANDing, programa de investigação continuada e de criação de artefatos por Fernanda Eugenio em colaboração com o Coletivo AND. O stANDing é a escola sendo gestada enquanto acontece e perpassa todo o ano em duas temporadas (fevereiro-julho e setembro-janeiro), compostas por trabalho presencial no Atelier AND Lab em Lisboa, encontros online e pelas Residências de Criação LAND, se abrindo ao exterior através de sessões de partilha e mostra informal de processos algumas vezes por ano.


Cabe ainda ressaltar que, embora hANDling, Estudos Indóceis e LANDscape se constituam enquanto atividades encadeadas, estão articuladas de modo a também permitir o ingresso de novas pessoas participantes a qualquer momento da viagem, que venham a acessar a experiência de modo avulso e pontual. 


A Escola do Reparar propõe habitar o 'entre' enquanto intervalo de potência, instaurando-se no seio dos cruzamentos arte-vida e estruturando-se de forma espraiada e multilocalizada, no trânsito entre Portugal e Brasil, entre o urbano e o rural e entre o presencial e o virtual, num compromisso em conjugar uma consistente deslocação subjetiva e sensível com o descentramento geográfico e a propagação digital. Reivindica-se, assim, enquanto campo de amparo para o encanto, enquanto campo seguro para o risco: firmado no cuidado e focado em (re)ativar a relação atenta com a Terra-Soma e, ao mesmo tempo, em infiltrar e sustentar um modo comunitário no quotidiano urbano e digital.


A Escola do Reparar oferece anualmente um mínimo de 25% de vagas sob a forma de bolsas integrais com perfil interseccional, para pessoas vulnerabilizadas por intersecções de classe, raça, gênero, deficiência, orientação sexual, corporalidades dissidentes, migração e/ou origem étnica.

As atividades da Escola do Reparar em Portugal são bilíngues (português e inglês) sempre que necessário. 

As atividades da Escola do Reparar em Portugal têm tradução em Língua Gestual Portuguesa sempre que necessário.






EN

School of Reparar Ed#5-2024


Commemorative edition: 5 years of School of Reparar, 10 years of summer schools.


Dis-cern and Inseparate: the enchantment of the Irreparable



In 2024 the School of Reparar focuses on the conceptual tool dis-cern, which invites us to exercise the ethical muscles of differentiating, of acknowledging  the cernes, in a modulation in which it is precisely access to the multiplicity of vital perspectives (between-cerns and intra-cerns) that allows us to (re)enchant and reconnect with the sensitive experience of inseparability.


We insist on searching for antidotes to the affections of helplessness and disenchantment, manifested by the exhaustion and dulling of sensitivities, which unevenly but pervasively mark contemporary individual and collective states. We call for the operations of alight/sheltering - as an experience of nesting, deep rest, surrender and (re)connection - and flight/enchantment - as access to the Common Fund of Life, to the embodied wisdoms beyond the human that make up the provisional aggregate of each and every life form, and re-tuning with being (in) a flock, in a full dwelling and co-sensing of the coexistence of life.


In the different meeting proposals that make up this year's research-creation, we also propose a delay in two other operations: a/re-knowledge - an honoring of the ancestries that give us (an)courage today (anchoring and courage) and a firm and frank commitment to self-awareness - and re(e)nunciation - renouncing the systemic illusions clustered around individual points of view and re-enunciation of oneself that unblocks access to the view of the point.   


It's a year in which we celebrate doubly!


■ On the one hand, the 5 years in which our proposals for sharing the Modus Operandi AND (MO_AND) have taken the form of the ongoing artistic-political training program School of Reparar, with annual thematic editions since 2020;


■ On the other hand, the 10-year emergence of the AND Summer Schools format, predecessor of the School of Reparar, which had its first pilot edition in Lisbon in the summer of 2015 and ran until 2019!


The program unfolds over two seasons, including face-to-face activities in Portugal, trips to Germany and Brazil, and online activities. 


■ From March to July, extensive in-person and intensive online workshops will be offered, including the hANDling workshops of Introduction to MO_AND and the Unruly Studies workshops onUnfolding MO_AND and the practiced study of concept-tools, as well as, in the summer, the LANDscape Portugal Course-Retreat on Deepening MO_AND and the Nest and Flock Ritual-Journey. 


■ From August to January, there will be intensive face-to-face hANDling workshops on Introduction to MO_AND in Germany and Portugal, an extensive online (under)stANDing workshop on Unfolding MO_AND and sharing the collaborative projects of the AND Collective, and a LANDscape Retreat-Course in Brazil on Deepening MO_AND and Retrospective 2024 Synthesis-Encounter.




ABOUT THE SCHOOL
The School of Reparar is an annual ongoing program of expanded research-creation and artistic-political training, which houses four meeting interfaces and takes place on the Portugal-Brazil axis.
Based on Fernanda Eugenio's creation always in process with Modus Operandi AND, in collaboration with the multi-localized network of artists from AND Collective and with different artists invited each time, the School of Reparar takes a question-theme per year, from the practical-theoretical constellation of MO_AND, as a motto for the creation of new performative devices of encounter, experiential propositions, games and tools of collective composition-creation, adopting the durational structure of the journey to invite to dwelling and persistence in the intimate-political work of trans-form-action.
Its four lines of activities are designed to provide participants with a gradual and supported journey of navigation in the issue-theme of the year.
We always start with hANDling, workshops for sharing the MO_AND and related practices (March to June; September to November, in Lisbon and different cities in Brazil each year), dedicated to offering the foundations for sustaining the annual journey, through the introduction and unfolding of the concept-tools and central principles of the MO_AND, combined with body practices of the AND Collective. 
Next, we enter the Unruly Studies, a group of practiced and experimental studies (May - Portugal and October - Brazil), dedicated to sharing the inhabited philosophy around the concepts in focus each year.
Then we come to LANDscape, an immersive retreat-course (July - Portugal and January - Brazil), built as a trans-formation-action ritual-journey, in which the Modus Operandi AND multiplies itself in a set of more complex incarnated political-affective propositions, that summon different modulations of the AND constellation game side by side with ritual-pieces specially created, each time, to provide the sensitive and alive experience of the issue-theme. This activity is, at the same time, end and beginning: a culmination of each year's journey, every July, which, when repeated in January, also operates the prepreparation for the following year, and for a new issue-theme about to emerge.
The whole journey is assisted and nurtured by [under]stANDing, a program of continued research and artifact creation by Fernanda Eugenio in collaboration with the AND Collective. stANDing program is the school being gestated as it happens and runs throughout the year in two seasons (February-July and September-January), composed of face-to-face work in the Atelier AND Lab in Lisbon, online meetings and the LAND Creation Residencies, opening up to the outside world through sharing sessions and informal process shows a few times a year.
It is also worth mentioning that, although hANDling, Unruly Studies and LANDscape are constituted as interlinked activities, they are articulated in a way that also allows the entrance of new participants at any moment of the trip, who may access the experience in a sporadic and occasional way.
The School of Reparar proposes to inhabit the 'in-between' as an interval of strength, establishing itself in the heart of the art-life intersections and structuring itself in a spread out and multi localized way, in the transit between Portugal and Brazil, between the urban and the rural and between the present and the virtual, in a commitment to combine a consistent subjective and sensitive displacement with geographical decentering and digital propagation. It claims itself, thus, as a field of support for enchantment, as a safe field for risk: firmed on care and focused on (re)activating the attentive relationship with the Earth-Soma and, at the same time, on infiltrating and sustaining a communitarian mode in the urban and digital everyday life.

The School of Reparar annually offers a minimum of 25% of places in the form of full scholarships with an intersectional profile, for people made vulnerable by intercessions of class, race, gender, disability, sexual orientation, dissident corporealities, migration and/or ethnic origin.
The activities of the School of Reparar in Portugal are bilingual (Portuguese and English) whenever necessary. 
The activities of the School of Reparar in Portugal are translated into Portuguese Sign Language whenever necessary.

ATIVIDADES ABERTAS NO MURAL DE EVENTOS PARA INSCRIÇÕES/INFORMAÇÕES

[poderá sempre retornar a esta página ao longo da programação anual para acompanhar novidades: as novas atividades do calendário serão adicionadas à medida que tiverem as suas inscrições/informações disponíveis]

hANDling | Laboratório de Introdução ao Modo Operativo AND (Extensivo)

hANDling | Laboratório de Introdução ao Modo Operativo AND (Extensivo)

07/03/24, 18:30
Espaço AND Lab (metro à porta)

com Fernanda Eugenio

LANDscape [Portugal] | Escola do Reparar 2024 [Ed#5]

LANDscape [Portugal] | Escola do Reparar 2024 [Ed#5]

26/07/24, 13:00
Trust Collective

Curso-Retiro de Aprofundamento no Modo Operativo AND & práticas político-afetivas encarnadas com as ferramentas da edição: 'Dis-cernir & Inseparar' | com Fernanda Eugenio & membres do Coletivo AND

hANDling+Estudos Indóceis: Introdução+Desdobramento do Modo Operativo AND

hANDling+Estudos Indóceis: Introdução+Desdobramento do Modo Operativo AND

29/06/24, 13:00
Online via Zoom

Escola do Reparar 2024 | Oficinas Intensivas de abordagem da questão do ano: Dis-cernir e Inseparar | com Fernanda Eugenio

Estudos Indóceis: Escola do Reparar 2024 [Ed#5] Desdobramento do Modo Operativo AND

Estudos Indóceis: Escola do Reparar 2024 [Ed#5] Desdobramento do Modo Operativo AND

16/05/24, 17:30
Espaço AND Lab (metro à porta)

Estudos Praticados de Ferramentas-Conceito MO_AND (Extensivo) | 1ª abordagem à questão-tema da edição 2024: Dis-cernir e Inseparar | com Fernanda Eugenio

Direção | Direction: Fernanda Eugenio

Curadoria e Formulação Conceitual/Curation and Conceptual Formulation: Fernanda Eugenio

Apoio à Direção | Support to Direction: Henrique Antão

Interlocuções/Interlocutions LANDscape Barril de Alva: Ana Dinger, Bernardo Chatillon, Manoela Rangel, Ruan Rocha

Interlocuções/Interlocutions LANDscape Guapimirim: Mariana Pimentel e  membres do Coletivo AND a definir

Interlocuções/Interlocutions (under)stANDing: Ana Corrêa, Constança Carvalho Homem, Dai, Henrique Antão, Ruan Rocha, Manoela Rangel

Design Original e Plataforma Online | Original Design and Online Platform: Alexandre Eugenio/Boxer Crab

Produção e Comunicação | Production and Communication: Catarina Serrazina e Luís Filipe Fernandes

Produção local (Alemanha) | Local production (Germany): produção Onsite e Núcleo AND Lab Berlim

Produção local (Brasil) | Local production (Brazil): Rede AND Lab Brasil - Núcleo Mata Atlântica | AND Lab Brasil Network - Atlantic Forest Center

Series Reels & Podcast: Pat Bergantin e Patrícia Araújo

Documentação Audiovisual | Audiovisual Documentation: Gabriela Jung e Inês T. Alves

Parcerias | Partnerships: Trust Collective (PT), Onsite Berlin (DE), Casa Amarela/Fazendinha (BR)

Apoio | Support: DGArtes - República Portuguesa - Cultura