top of page

QUANDO-ONDE?

(Atividades)

COMO?

(Escola)

sábado, 13/04

|

Mira | artes performativas

Exposição-Ocupação AND #1

Processo de investigação aberto | Instalação audiovisual | Oficinas | Sessões de prática e conversa com Fernanda Eugenio, Ana Dinger, Dani d’Emilia, Andrea Capella e outrxs convidadxs

Lamentamos, mas as inscrições para este evento foram encerradas.
Ver outros eventos
Exposição-Ocupação AND #1
Exposição-Ocupação AND #1

Info Geral

13/04/2019, 16:00 – 28/04/2019, 20:00

Mira | artes performativas, R. do Padre António Vieira 68, 4300-252 Porto, Portugal

Detalhes

O projecto “Do Irreparável: o que pode uma ética de reparação?” assenta em vários dispositivos relacionais que se articulam através de diferentes situações de partilha, nomeadamente num formato experimental que decidimos formular como exposição-ocupação. Tornando acessível aquilo que normalmente está nos bastidores como os meandros da pesquisa artística, a dimensão de montagem e desmontagem de uma exposição, a presença constante dos corpos, agentes humanos e não humanos que compõem e produzem esse enquadramento espácio-temporal, esta é uma exploração das modulações do encontro em situação, que terá duas ocorrências (uma exposição-ocupação no Porto e outra em Lisboa).

A primeira exposição-ocupação, a ter lugar no MIRA I artes performativas, conta com uma oficina de introdução ao Modo Operativo AND, a partilha do processo de construção do Metálogo#6 (por Fernanda Eugenio e Ana Dinger, a apresentar no MIRA I artes performativas em Dezembro de 2019), jogos-conversa e contribuições outras de artistas e colectivos – nomeadamente a investigação colaborativa das Práticas de Des-Imunização (Fernanda Eugenio e Dani d’Emilia) -, em progressiva ocupação do espaço e entorno.

Experimentando com os limites do REPARAR – ferramenta-conceito síntese da pesquisa desenvolvida no AND Lab – o projecto “Do Irreparável: o que pode uma ética de reparação?” situa-se no seio de uma tarefa paradoxal e urgente: entre a irreparabilidade constituinte do mundo-tal-como-o-conhecemos e o compromisso ético com a sua reparação.

ONDE:

MIRA I artes performativas

Rua do Padre António Vieira 68, Porto

QUANDO:

13 a 28 de Abril de 2019

13 de Abril, das 16 às 18h – Sessão inaugural com apresentação prática da investigação “Do Irreparável: o que pode uma ética de reparação?”

Horário de abertura entre 16 e 26 de Abril: terça a sexta, das 15 às 18h

13 e 14 de Abril - Oficina de Introdução ao Modo Operativo AND

27 e 28 de Abril – Oficina de MO_AND + Práticas de Des-Imunização

COM QUEM:

Fernanda Eugenio, Ana Dinger, Dani d’Emilia, Andrea Capella (instalação audiovisual) e outrxs convidadxs

OFICINAS INTEGRADAS

Indrodução ao Modo Operativo AND - informações aqui

Modo Operativo AND + Práticas de Des-Imunização - informações aqui

A exposição-ocupação e as oficinas nela integradas fazem parte da programação inserida no projecto AND Lab 2019 | Do Irreparável: o que pode uma ética de reparação?, com o apoio da dg-artes.

BIOS

Ana Dinger - Licenciada em Escultura pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa (2008), frequentou os três primeiros anos da licenciatura na Faculdade de Belas-Artes do Porto. Desde cedo se sentiu desconfortável com categorias, oscilando entre teoria e prática e minando, aqui e ali, sempre que possível e com subtileza, os constrangimentos disciplinares. Frequentou o Ginasiano, o Balleteatro, o Centro de Dança do Porto, o Curso de Pesquisa e Criação Coreográfica do Forum Dança (Porto, 2003) e o primeiro ano do bacharelato da Escola Superior de Dança (Lisboa, 2003/2004). Completou pós-graduação em Arte Contemporânea, em 2011, na UCP (Universidade Católica Portuguesa). É na UCP que integra, actualmente, o programa de doutoramento em Estudos de Cultura (plataforma Lisbon Consortium), como investigadora afiliada ao CECC (Centro de Estudos em Comunicação e Cultura). Foi bolseira da FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia) entre Setembro de 2012 de Agosto de 2016. A sua tese investiga certos processos metonímicos, como a espectralidade (associada a uma determinada noção de hospitalidade), que contribuem para a construção de continuidade dos trabalhos artísticos ditos performativos. Articulando as suas questões com o Modo Operativo AND, que segue desde 2011, tem inaugurado outras possibilidades de relação que não se esgotam no ‘sobre’. Uma dessas possibilidades já materializada, além-tese, é uma série de conversas situadas e experimentais com Fernanda Eugenio (Metálogos), iniciada em 2015, que conta já com cinco edições. Investigadora associada ao AND Lab desde 2015, colabora intensivamente com Fernanda Eugenio no acompanhamento das oficinas e cursos, no desenho e na criação de dispositivos de partilha do MO_AND e na constituição da linha de pesquisa Metálogo e Co-operação.

Andrea Capella - Estudou Arquitectura, História da Arte, Cenografia e Cinema, especializando-se em Direcção de Fotografia na UFF, onde também deu aulas de 2004 a 2006. É diretora de fotografia dos longas metragens “Corpo Elétrico”(Marcelo Caetano),“Ressaca” (Bruno Vianna), “A Fuga da Mulher Gorila” (Felipe Bragança e Marina Meliande), “A Alegria” ( Felipe Bragança e Marina Meliande, seleccionado para a Quinzena dos Realizadores de Cannes), Claun (Felipe Bragança) e 20 curtas metragens, dentre eles: “Na sua companhia” (Marcelo Caetano, prêmio de Melhor Fotografia - Close 2012) e “Por dentro de uma gota d’água” (Felipe Bragança e Marina Meliande, prêmio de Melhor Fotografia – Kodak Film School Competition, Brasil). Dirigiu, com Peter Lucas, a curta “Instantâneos”, premiada como Melhor Filme no Festival Primeiro Plano de 2011 e co-dirigiu “Ficar parado cansa” - um episódio do longa Desassossego. Como artista visual, desenvolve trabalhos em diversos media, tais como fotografia, vídeo e desenho e colabora com diversos artistas de teatro, artes visuais e dança, com experiências em iluminação, fotografia, novas tecnologias e vídeo.

Fernanda Eugenio - Antropóloga, artista, investigadora e docente. Trabalha com pesquisa de campo, escrita, performance ampliada, proposições urbanas situadas e, sobretudo, com a construção de modos de fazer transversais para a composição relacional e para a criação por re-materialização - nomeadamente o Modo Operativo AND, metodologia que desenvolve há quinze anos e tem vindo a ser amplamente utilizada em diversas áreas. Desde 2011 dirige a plataforma AND_Lab | Arte-Pensamento e Políticas da Convivência - com sede em Lisboa e núcleos no Brasil (Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo) e Espanha (Madrid) - a partir da qual explora os entre-lugares emergentes de uma trajectória marcada por colaborações intensivas, deslocações e desvios, entre a pesquisa académica estrita e uma investigação singular dos usos artísticos e políticos da etnografia como ferramenta circunscritiva-performativa. É pós-doutora (2012) pelo ICS - Universidade de Lisboa; doutora (2006) e mestre (2002) em Antropologia Social (Museu Nacional, UFRJ) e formada em Dança pela Escola Angel Vianna. No Brasil, foi Pesquisadora Associada do CESAP/IUPERJ (2003-17) e Professora Adjunta de Ciências Sociais na PUC-Rio (2005-12). Nos últimos quinze anos tem actuado como professora convidada em diversos programas de formação em ciências sociais e humanas, artes e performance na Europa, EUA e América do Sul. As suas criações artísticas, colaborações e publicações circulam por Brasil, Chile, Argentina, Peru, Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia, Alemanha, Áustria, República Checa, Reino Unido, EUA e Vietname. É membro do Baldio | Estudos de Performance, com quem criou o primeiro Curso Experimental em Estudos de Performance em Portugal e da R.I.A. | Rede de Investigação Artística. www.and-lab.org

Dani d’Emilia - Artista e educadorx transfeminista. Desde 2001 trabalha internacionalmente em projectos de performance, artes visuais, teatro e pedagogia radical. É co-fundadorx da companhia de teatro imersivo Living Structures (Reino Unido) e do espaço artístico Roundabout.lx (Lisboa, PT). Dani foi membro do colectivo de performance transnacional La Pocha Nostra (MX / US) entre 2011-2016 e do dueto transfeminista Proyecto Inmiscuir (ES / MX) entre 2015-17. Actualmente também trabalha como pesquisadorx da Fundação Musagetes (CA), investigando possibilidades de educação decolonial através de práticas artísticas e críticas como parte dos programas Gorca Earthcare (Eslovênia), Free Home University (Itália), Gesturing Towards Decolonial Futures (Universidade de British Columbia, Canadá) e outros contextos de investigação encarnada. Sua formação inclui: MA – Literatura Comparada y Estudios Culturales, Universidad Autonoma de Barcelona (Espanha, 2016); MA – Programa de Estudos Independentes dirigido por Paul B. Preciado, Museo de Arte Contemporanea de Barcelona (Espanha, 2015); BA – Devised Theatre and Visual Arts Practices, Dartington College of Arts (Reino Unido, 2007); Diploma em Mime & Physical Theatre, Desmond Jones School (Reino Unido, 2003); e diversos outros treinamentos com artistas e educadorxs independentes em teatro, performance, live art, artes visuais, pedagogia radical e outras praticas corporais. www.danidemilia.com

Partilhar

bottom of page